sábado, 30 de janeiro de 2016

Não importa de onde você veio

Parábolas


 


Um homem trabalhava como porteiro no pior lugar da cidade. Mas que outra coisa poderia fazer aquele homem? O fato é que nunca tinha aprendido a ler nem a escrever. Certo dia, entrou como gerente um jovem cheio de ideias, que decidiu modernizar o estabelecimento. Disse ao porteiro:
 
 A partir de hoje, o senhor, além de ficar na portaria, vai preparar um relatório semanal onde registrará a quantidade de pessoas que entram e seus comentários sobre os serviços.
 Eu adoraria fazer isso senhor, mas eu não sei ler nem escrever.
 Ah! Sinto muito! Mas sendo assim não poderá trabalhar mais aqui.
 
O porteiro sentiu como se o mundo desmoronasse. O que fazer? Lembrou-se de que, quando quebrava alguma cadeira ou mesa, ele a arrumava. Pensou que esta poderia ser uma boa ocupação até conseguir um novo emprego. 

Decidiu que usaria o dinheiro de sua indenização para comprar uma caixa de ferramentas completa. Como o povoado não tinha casa de ferragens, viajou dois dias em uma mula para ir ao povoado mais próximo para realizar a compra. 
 
Em seu regresso, um vizinho comprou seu martelo e pagou pela sua viagem. Outros vizinhos lhe compraram um alicate, uma chave de fenda e uma talhadeira, já que não tinham tempo para viajar.
 
A notícia começou a se espalhar pelo povoado e muitos, querendo economizar a viagem, faziam-lhe encomendas. E nosso amigo guardou as palavras que escutara muitas vezes: "Não disponho de tempo para viajar para fazer compras".
 
Um dia, ele se lembrou de um amigo que era torneiro e ferreiro e pensou que este poderia fabricar as cabeças dos martelos. E, por que não, também as chaves de fendas, alicates, talhadeiras etc. Assim, em poucos anos, ele se transformou, com seu trabalho, em um rico e próspero fabricante de ferramentas.

Certa feita decidiu doar uma escola ao povoado. Nela, além de ler e escrever, as crianças aprenderiam também algum ofício.
 
No dia da inauguração da escola, o prefeito entregou-lhe as chaves da cidade, abraçou-o e disse:

 É com grande orgulho e gratidão que pedimos que o senhor Valentin, Valentin Tramontina, fale algumas palavras aos nossos alunos!

<<<<<<<>>>>>>> 
 
Lembre-se da sabedoria da água: ela nunca discute com seus obstáculos, mas os contorna. Quando alguém lhe fechar uma porta, não gaste energia com o confronto. Procure as janelas. 



Autor: Desconhecido

O poder das palavras 2

Parábolas

 



Sempre num lugar por onde passavam muitas pessoas, um mendigo sentava-se na calçada e ao lado colocava uma placa com os dizeres:
 
"Vejam como sou feliz! Sou um homem próspero, sei que sou bonito, sou muito importante, tenho uma bela residência, vivo confortavelmente, sou um sucesso, sou saudável e bem humorado”.
 
Alguns passantes o olhavam intrigados, outros o achavam doido e outros até davam-lhe dinheiro.
 
Todos os dias, antes de dormir, ele contava o dinheiro e notava que a cada dia a quantia era maior.
 
Numa bela manhã, um importante e arrojado executivo, que já o observava há algum tempo, aproximou-se e lhe disse:
 
 Você é muito criativo! Não gostaria de colaborar numa campanha da empresa?
 
 Vamos lá. Só tenho a ganhar!, respondeu o mendigo.
 
Após um caprichado banho e com roupas novas, foi levado para a empresa.
 
Daí para frente sua vida foi uma sequência de sucessos e a certo tempo ele tornou-se um dos sócios majoritários.
 
Numa entrevista coletiva à imprensa, ele esclareceu como conseguira sair da mendicância para tão alta posição. Contou ele:
 
 Bem, houve época em que eu costumava me sentar nas calçadas com uma placa ao lado, que dizia: "Sou um nada neste mundo! Ninguém me ajuda! Não tenho onde morar! Sou um homem fracassado e maltratado pela vida! Não consigo um mísero emprego que me renda alguns trocados! Mal consigo sobreviver!"
 
E continuou:
 
 As coisas iam de mal a pior quando, certa noite, achei um livro e nele atentei para um trecho que dizia: "Tudo que você fala a seu respeito vai se reforçando. Por pior que esteja a sua vida, diga que tudo vai bem. Por mais que você não goste de sua aparência, afirme-se bonito. Por mais pobre que seja você , diga a si mesmo e aos outros que você é próspero”. Aquilo me tocou profundamente e, como nada tinha a perder, decidi trocar os dizeres da placa para:
 
"Vejam como sou feliz! Sou um homem próspero, sei que sou bonito, sou muito importante, tenho uma bela residência, vivo confortavelmente, sou um sucesso, sou saudável e bem humorado”.
 
E a partir desse dia tudo começou a mudar. A vida me trouxe a pessoa certa para tudo que eu precisava, até que cheguei onde estou hoje. Tive apenas que entender o poder das palavras. O universo sempre apoiará tudo o que dissermos, escrevermos ou pensarmos a nosso respeito e isso acabará se manifestando em nossa vida como realidade. Enquanto afirmarmos que tudo vai mal, que nossa aparência é horrível, que nossos bens materiais são ínfimos, a tendência é que as coisas fiquem piores ainda, pois o universo as reforçará. Ele materializa em nossa vida todas as nossas crenças.
 
Uma repórter, ironicamente, questionou:
 
 O senhor está querendo dizer que algumas palavras escritas numa simples placa modificaram a sua vida?
 
Respondeu o homem, cheio de bom humor:
 
 Claro que não, minha ingênua amiga! Primeiro eu tive que acreditar nelas!
 
 
 
Autor: Desconhecido

O poder das palavras 1

Parábolas


 


Se me disseres que me amas, acreditarei. Mas se escreveres que me amas, acreditarei ainda mais.

Se me falares da tua saudade, entenderei. Mas se escreveres sobre ela, eu a sentirei junto contigo.

Se a tristeza estiver a te consumir e me contares, eu saberei. Mas se a descreveres no papel, o seu peso será menor.

Assim são as palavras escritas: possuem um magnetismo especial, pois libertam, acalentam, invocam emoções.

Elas possuem a capacidade de, em poucos minutos, cruzar mares, saltar montanhas, atravessar desertos intocáveis.

Muitas vezes, infelizmente, perde-se o autor, mas a mensagem sobrevive ao tempo, atravessando séculos e gerações. Elas marcam um momento que será eternamente revivido por todos aqueles que as lerem.

Viva o amor com palavras faladas e escritas. Mate saudades, peça perdão, aproxime-se. Recupere o tempo perdido, insinue-se, alegre alguém, ofereça um simples "bom dia". Faça um carinho especial. Use a palavra a todo instante, de todas as maneiras, e verás que sua força é imensurável. Lembre-se sempre do poder das palavras.

"Quem escreve, constrói um castelo; quem lê, passa a habitá-lo".


Autor: Desconhecido

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

O Porcos-espinhos




Durante a era glacial, muitos animais morriam por causa do frio.
Os porcos-espinhos, percebendo a situação, resolveram se juntar em grupos, assim se agasalhavam e se protegiam mutuamente, mas os espinhos de cada um feriam os companheiros mais próximos, justamente os que ofereciam mais calor. Decidiram então se afastar uns dos outros e voltaram a morrer congelados; então, precisaram fazer uma escolha: 
Ou desapareceriam da Terra ou aceitavam os espinhos dos companheiros. 
Com sabedoria, decidiram voltar a ficar juntos. 
Aprenderam assim a conviver com as pequenas feridas que a relação com uma pessoa muito próxima podia causar, já que o mais importante era receber o calor do outro. 
E assim sobreviveram!!!!

Moral da História 

O melhor relacionamento não é aquele que une pessoas perfeitas, mas aquele onde cada um aprende a conviver com os defeitos do outro e admirar suas qualidades. Very Happy Very Happy Very Happy

A arte... de julgar os outros



Eram dois vizinhos. Um deles comprou um coelho para os filhos. Os filhos do outro vizinho também quiseram um animal de estimação. E os pais desta família compraram um filhote de pastor alemão.

Então começa uma conversa entre os dois vizinhos:
- Ele vai comer o meu coelho!
- De jeito nenhum. O meu pastor é filhote. Vão crescer juntos e 'pegar' amizade!!!

E, parece que o dono do cão tinha razão. Juntos cresceram e se tornaram amigos. Era normal ver o coelho no quintal do cachorro e vice-versa. As crianças, felizes com os dois animais.

Eis que o dono do coelho foi viajar no fim de semana com a família. E não levaram o coelho. No domingo, à tarde, o dono do cachorro e a família tomavam um lanche tranquilamente, quando, de repente, entra o pastor alemão com o coelho entre os dentes, imundo, sujo de terra e morto. O cão levou uma tremenda surra! Quase mataram o cachorro de tanto agredi-lo.

Dizia o homem:
- O vizinho estava certo. Só podia dar nisso!

Mais algumas horas e os vizinhos iam chegar. E agora?!
Todos se olhavam. O cachorro, coitado, chorando lá fora, lambendo os seus ferimentos.

- Já pensaram como vão ficar as crianças?
Não se sabe exatamente quem teve a ideia, mas parecia infalível:
- Vamos lavar o coelho, deixá-lo limpinho, depois a gente seca com o secador e o colocamos na sua casinha. E assim fizeram. Até perfume colocaram no animalzinho. Ficou lindo. Parecia vivo, diziam as crianças.

Logo depois ouvem os vizinhos chegarem. Notam os gritos das crianças.
- Descobriram!


Não passaram cinco minutos e o dono do coelho veio bater à porta, assustado. Parecia que tinha visto um fantasma.
- O que foi?! Que cara é essa?
- O coelho, o coelho...
- O que tem o coelho?
- Morreu!
- Morreu? Ainda hoje à tarde parecia tão bem.
- Morreu na sexta-feira!
- Na sexta?!
- Foi. Antes de viajarmos, as crianças o enterraram no fundo do quintal e agora ele reapareceu!

A história termina aqui. O que aconteceu depois fica para a imaginação de cada um de nós. Mas o grande personagem desta história, sem dúvida alguma, é o cachorro. 

Imagine o coitado, desde sexta-feira procurando em vão pelo seu amigo de infância. Depois de muito farejar, descobre seu amigo coelho morto e enterrado. 

O que faz ele? Provavelmente com o coração partido, desenterra o amigo e vai mostrar para seus donos, imaginando que o fizessem ressuscitar.

E o ser humano continua julgando os outros...

A outra lição que podemos tirar desta história é que o homem tem a tendência de julgar os fatos sem antes verificar o que de fato aconteceu.

Quantas vezes tiramos conclusões erradas das situações e nos achamos donos da verdade?

Histórias como essa, são para pensarmos bem nas atitudes que tomamos.

Às vezes, fazemos o mesmo...

A vida tem quatro sentidos: amar, sofrer, lutar e vencer.
Então: AME muito, SOFRA pouco, LUTE bastante e VENÇA sempre!!!

Fonte: http://eticaglobal.blogspot.com/

A vida

A vida que passa lá fora, e aqui dentro, as coisas passadas, as coisas vividas, essas ficam na lembrança, só para se lembrar, não devemos permanecer lá. Não devemos!
Lá é passado, aqui é presente, lá amei, você amou, eu vivi, você viveu, nós que nem nos conhecemos e habitamos o mesmo planeta, esse mesmo que eu e você, gostaríamos de poder consertar, mas, que de algum modo sabemos, no fundo sabemos; não tem jeito, é muita bagunça, e muita falta de caráter, é falta de tudo, destroem-se tudo, querem dinheiro, ouro, diamante, prata não, não vale muito, "Vale" só se for das sombras, da lama e destruição...
Eu e você sabemos o quanto vale a vida, o amor ao próximo, mesmo que esse próximo não esteja próximo, você sabe!  Eu sei!!!

Márcio Reis


Escrever o que pensa

Escrevo,
penso,
sonho;
a cada dia
um novo dia,
o desorganizar e organizar das coisas,
a casa, a bagunça,  tem de ser arrumada,
um novo banho,
uma nova vida,
talvez um novo amor,
talvez...
O amor pode ser consertado,
com palavras se conserta o amor,
amor arrumado,
se não der, arruma-se outro,
arruma-se por dentro,
aprende a viver melhor,
a se qualificar para o amor,
qualifica-se para tudo,
aprender é preciso sempre,
um organizar-se para a vida...

Márcio Reis